Contos, textos, ensaios... Pedro Aruvai

terça-feira, 20 de abril de 2010

O tédio



UM CONTO CONTADO ASSIM.

O tédio


A noite estava um tédio. Dessas noites imperfeitas para a gente mas perfeitas para o tédio nos entediar. Quando se espera um telefonema, o telefone não toca. Ninguém aparece. Ficar sentado no sofá olhando a TV quase sempre repetindo coisas. Coisas repetidas são chatas! Tediosas! Já tantas vezes vistas! A programação repetida na TV é um saco! A mesma programação de sempre, os mesmos personagens, as mesmas historias, os mesmos comerciais... a TV é um tédio!

As paredes do quarto de tão conhecidas parecem aborrecidas. De tão olhadas pelos mesmos olhos já não se ver nem mais desenhos estranhos nelas. Os desenhos sumiram! Se desfizeram e não se fazem mais! Até os desenhos deixaram as paredes. Entediados desse quarto, de mim, de meus olhos que tanto encontrava-os, nos seus contornos silenciosos, nos seus mundos abstratos desconhecidos. Encontrava-os sem procurá-los. Se mostravam, queriam aparecer, eram desenhos inúteis talvez querendo ser arte, agora que procuro eles não aparecem. Talvez tenham ficados aborrecidos comigo!

Se raciocinassem, se pensassem, fossem conscientes, poderiam achar que eu sou mais inútil que eles. Mas eles são apenas figuras criadas, encontrados nas paredes onde as vezes nem há desenhos. Mas eles existem, estão lá, olhando quem lhes olham, nem todos estão prontos, alguns são apenas rascunhos, que mudam de forma dependo do grau de visão de quem lhes olham. Não foram desenhados por nenhum desenhista, por isso são livres, a maneira que se mostram para os olhos de quem quer ver. De quem sabe ver. Figuras estranhas e até vulgares, nenhum santo!

Velhas paredes que não saem do lugar. Não falam, não gesticulam, não riem, são paredes! Espera-se pelo menos um pedaço do reboco caindo. Não cai! Insetos voam para aborrecer os ouvidos. Insetos tem asas e homem não tem! As horas correm depressa e sem frescura. Se amarrassem os ponteiros ou parassem os relógios digitais as horas continuariam passando! Os relógios não são os donos do tempo, eles apenas marcam o tempo que passa. Desligar a TV é a melhor solução. Olhar para a rua pela janela para ver a mesma rua de sempre. As mesmas pessoas. O barulho dos mesmos motores. Tudo é o mesmo tédio! O tédio é angustiante. Sair ? Parece ser a única saída!

A cidade oferece muita coisa. Tudo coisas velhas, repedidas, pessoas bêbadas, irritante, falando besteira, nos balcões, nas cadeiras às mesas dos bares. Mulheres feias dando risada. Mulheres bonitas falando com orgulho, olhando por cima dos ombros para ver entrar algum homem bonito. Tudo é chatice desse mundo tedioso! Se chega a conclusão que o mundo é um saco! Respirar fundo não é o remédio. Tomar agua da geladeira também não quando não se tem sede. Agua gelada dói nos dentes! E só tem gosto de agua gelada. Qual é o gosto da agua gelada ? Passa pela goela e vai embora matar a sede.

Comer chocolate. Sorvete! Qualquer coisa que mude o gosto da boca e a vontade de dá um grito. Os vizinhos escutarão e pensarão que é loucura. Os vizinhos adoram a loucura dos outros! Carniceiros de plantão! Estás enlouquecendo ? Mundo de merda! Fechar a janela batendo com força para satisfazer a raiva. Dá um chute no sofá. O dedo do pé dói. Já é alguma coisa. A dor é sempre alguma coisa a mais! Mas não muda nada. Não socorre as vítimas do sofrimento. A dor só tortura quem já é vitimado! Para que a dor ? Se tivesse dinheiro tudo mudaria, talvez!

Tudo é a droga do dinheiro. Então não há tédio. O tédio é a falta dessa droga chamada dinheiro. Pessoas que tem dinheiro estão se divertindo agora. Bebendo qualquer porcaria, uísque, cerveja, chope, champanhe, acompanhado de amigos, belas mulheres, dançando, sorrindo... então o problema é a falta do dinheiro. Todo mundo sabe disso! Para que repetir ? Cuspir para cima para ver onde vai cair o cuspe. Não é a solução. Sair parece lógico. Qual é a logica do tédio ? Não há logica, é só para entediar.

O tédio pode ser esse quarto, essa casa, esse lugar rodeado de paredes sem desenhos. Está sozinho, o tédio vem fazer companhia. A rua oferece um monte de besteira para se ver, para se fazer, o que se faz na rua quando se está entediado ? Ver as pessoas! Cansado de ver gente. As ruas. Cansado de ver ruas. Como se os olhos não estivessem entendiado de ver essas coisas tediosas todos os dias, como um filme repetido diariamente! Casas, prédios, avenidas, pessoas indo e vindo, carros passando, um tédio!

Tomar uma cerveja. Pegar a carteira, olhar o dinheiro, é pouco o dinheiro que tem, mas dá para uma cerveja. Calçar os sapatos, procurar uma camisa. Qualquer uma! Está boa essa! Pegar as chaves da porta. Ainda pensar: a rua é a solução para o tédio ? Vamos ver! Arriscar abrir a porta e sair, fechar a porta e caminhar pelo corredor até o elevador. Apertar o botão do elevador, esperar uns segundos, portas se abrindo no corredor, pessoas falando, caminhando pelo corredor. São vizinhos que estão vindo tomar o elevador. Não querer encontrar vizinhos nesses momentos, é bom evitar!

Descer pelas escadas. Parado no andar de baixo, as pessoas ainda estão no andar de cima, conversando, segurando a porta do elevador. Continuar a descer pelas escadas. Cada degrau que desce da escada falando baixinho um palavrão. A luz automática apaga. Esperar acender, ninguém acende. Ficar no escuro, descer as escadas no escuro. Antes de tropeçar no degrau de baixo, resolver acender as luzes das escadas. Luzes apagadas é uma droga! Não se enxerga quase nada! Chegar a portaria. Passar pelo portão e ganhar a rua. A rua é a mesma, como sempre, o movimento de gente que não sabe o que quer. É o tédio das ruas. Carros e pessoas passam. Ficar um tempinho em pé na calçada, decidindo para que lado seguir.

Pessoas passam para todos os lados. Tanto lado existe nessa cidade e as ruas levam a todos os lados. A decisão é sempre por um lado e não se sabe porque se escolhe esse lado para seguir. Levado pelos pés, as pernas tem culpa, o desejo da mente, que decide, dos olhos que escolhem, que ver e guiam. Os braços que não sossegam, sempre balançando, para frente e para trás. Esse é o destino decidido a tomar, sem se perguntar por que. Segue-se a esmo, porque é sempre a melhor direção, o esmo, o destino de todos os destinos, que nos leva a todas as direções. E a direção mais certa nesses momentos é não ter uma direção certa...

"UM CONTO CONTADO ASSIM"

-O tédio-

"Terça-feira, 20 de abril de 2010"
"Autor: Pedro Aruvai"

12 comentários:

SolBarreto disse...

Um texto bem realista...gostei....
Vivo tanto isso, esse tedio diario, continuo...ja faz parte da minha rotina rsrsrrs

Crista disse...

Felizzzzzzzzzzzz por te ver no meu cantinho...mais tarde passo outra vez para te dar um cheiro...

José Pedro da Silva disse...

obrigado pelo carinho e os comentários. bjsss

José Pedro da Silva disse...

obrigado pelo carinho e os comentários. bjsss

Gersonita Paula disse...

José Pedro! Que surpresa ao te encontrar em meu Blog... vindo agora ao teu pra te deixar um abraço, e lendo teus escritos, e percebendo que já editastes um livro, me sinto agora bem mais previlegiada... Principalmente pela forma como escreves! Tuas palavras nos tomam pelas mãos e nos prendem... Descrevestes o tédio com tamanha verdade que, mais um pouco e deixaria de ser "tédio" o que tu transformastes em gostosa prosa e poesia... Parabéns! Estarei te seguindo. Obrigado pela atenção e carinho. Até breve!

Pensamentos da Mila disse...

Agradecida pela visita e por seguir meu Blog, tamb estou seguindo-te...
Bjs
Carinhosamente Mila!

José Pedro da Silva disse...

obrigado pela visita, pelos comentários, pelo carinho. fico muito contenete que gostaram. bjão a todas!

M@ria disse...

Nada se assemelha à alma como a abelha. Esta voa de flor para flor, aquela de estrela para estrela. A abelha traz o mel, como a alma traz a luz.

Victor Hugo

Bom Domingo e beijos perfumados prá ti.

M@ria disse...

Tem selinho aqui pra voce.....venha buscá-lo

Este blog é um luxo.....em destaque no M@ria M@ria
http://marialbozolipoesias.blogspot.com/

Crista disse...

Voltei José Pedro!!!
Não acreditas,né????
Nem eu...huaschuasch...
Mas por que todo esse tédio????
ééékaaaaaaaaaa...preciso vir te ver sempre...assim acabo com o teu tédio...rsrsrsrs....
Gostei do que li,escrevestes muito bem...tanto que fiquei com tédio do tédio!
Beijos José Pedro!!!!
Te gosto viu?

Ps.:Só não escreve outra vez:obrigado pelo carinho e os comentários. bjsss
rsrsrsrsrsrsrs...pode me mandar pro raios que os parta....rsrsrsrsrs...

José Pedro da Silva disse...

obrigado pelos comentários.
===========================
o tédio do personagem.
===========================
estou terminando de escrever a segunda parte desse conto, em breve vou postá-lo aqui.

M@ria disse...

No dia de hoje...
Escreva uma página
dourada
com tudo que sonhas
na vida...
Não deixe uma só linha
em branco
Agradeça pelo dia de ontem
e peça paz ao teu dia
de hoje....
Escreva um verso
de felicidade
não dobre a página
por nada...
Não esqueça
Você é o autor
da sua jornada.

D A

Feliz Domingo com amor no coração!


Obs:Venha conhecer meu novo blog......te espero
http://caminhospoetico.blogspot.com/